sábado, 4 de fevereiro de 2012

Soneto do Pai João - por Sergio Martins





Há tempos, eu sonho com o Cacique de Ramos
e com o pagode do Zeca em Xerém,
no entanto, sem ter nenhum Vintém,
ficarei com a mesma fantasia de todos os anos.

Estou aflito para ir ao Scala, à Cidade do Samba,
ao Sambódromo, ao baile do Sovaco do Cristo
e ao Cordão do Bola Preta, mas só pela TV assisto
as festanças e realizo meu sonho de ser um bamba.

Fora as micaretas de Salvador, a boemia de Copacabana,
o Frevo do Recife e o Maracatu rural, sou Pierrot, pirata
ou gorila plastificado; num tédio de ter o bolso sem grana.

Quero os desfiles de Sampa, sentir a Mangueira - a Tradição,
o carnaval de máscaras (dos que se revelam) e da Amazônia,
pois só conheço os coretos onde sou apenas mais um Pai João.

2 comentários:

SOL da Esteva disse...

Sérgio

Um Poema de sonhos de Carnaval.
Bem adornado pelos acontecimentos que são habituais na época.
Bom, Amigo.

Abraços

SOL
http://acordarsonhando.blogspot.com/

Márcio André disse...

Sérgio,

esplêndido talvez não seja tudo o que tenho para escrever, mais ele resume numa palavra, não esta, mais muitos dos seus textos.

Márcio

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visualizadas