sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Opostos - Sergio Martins







De teu corpo, o orvalho foi chuva sobre inférteis areias de frígidas noites não havendo rocha que se esculpisse em beleza feliz aos teus cálidos banhos e como numa viagem perdida, ao menos uma pedra do deserto rochoso limpou-se com as gotas mornas que de ti emanam qual carinho permanente do tempo sobre a indiferença eterna desse andarilho perdido e insensato desnorteando seu chão e suas flores.

3 comentários:

António Jesus Batalha disse...

Amigo Sergio seu texto é muito bom, um texto pequeno mas muito bem estruturado. Também estou já a seguir seu blog.
Tudo de bom.
António.

Flor de Lótus disse...

Oi,Sergio!Lindos versos!
Uma ótima semana!
Beijosss

Severa Cabral(escritora) disse...

Bom dia meu amigo querido !!!!
Neste novo ano que está a começar estou aqui para continuar a ler as tuas belas poesias. Quero te dizer que foi para mim um grande gosto ter convivido contigo durante o ano que passou e tenho a certeza que este convívio continuará cimentando assim esta amizade que nasceu através de palavras...
bjsssssssssssssssssss

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visualizadas