quarta-feira, 13 de novembro de 2013

O Lustre - Sergio Martins







Vi no “O Lustre” de Clarice a razão de caminhar
à fuga de todo risco de não me elucidar:
harmonizar o trágico, a noite pra me guiar,
o desamparo de um flerte, Cubismo insano do olhar...

Restava o grito infinito dessa vida que eu quis,
parecia estar escrito no livro que o limite é um traço fraco de giz.

Aumentei o zoom, dei um clique neste palco infeliz;
acreditava que tudo era um circo, mas viver é um passo - a um triz.

Um comentário:

Súbitas Palavras disse...

Amei!

"O limite é um traço fraco de giz"

E não é que é?

Abração, Sérgio!

Nel

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visualizadas