sábado, 4 de junho de 2011

Broto de bananeira - parte 2 - por Sergio Martins




De vez em quando fico inquieto, crio o hábito de observar tudo e provar um pouquinho de cada coisa; com isto, o tempo passou e eu deixei de observar a bananeira. As muitas ocupações não me permitiram acompanhar sua gravidez e o nascimento do seu cacho de pequeninas e fartas bananas que gratuitamente foram amadurecendo nesse pedaço de paraíso que se perdeu por aqui. Depois o tempo foi subtraindo sua força e eu também não percebi. Sua vida estava ameaçada por uma praga. E diante de sua morte, pensei na hipótese da bananeira sentir medo. Medo da morte como qualquer ser vivo diante do perigo que confisca sua graça existencial. Logicamente, não é só a morte que causa medo, a beleza também. Eu já senti medo da imensidão do oceano, do mergulho em águas profundas, das ondas e correntezas, do alto dos montes, da calmaria sinistra no ventre de um matagal, do olhar sedutor da deusa que todos os dias me consumia, daquele amor todo que crescia mais do que meu ser juntamente com a expectativa da perda... Mas foram medos amenizados quando entendi que eles só tem a ver com a rejeição ao aprendizado, a liberdade de escolha, a perda do controle sobre os outros, a falta de aptidão em lidar com a finitude, com a realidade humana e natural...

Foto: galeria de Maíra Ventura - http://www.flickr.com/photos/21664287@N08/with/5455943019/

8 comentários:

Peônia disse...

O medo, embora seja uma reação humana necessária à sobrevivência, nos paralisa e congela em muitas situações da vida. É necessário uma força, muitas vezes sobre-humana para nos desvenciharmos dele e imergir para a plenitude do ser!
Beijos poeta!

ritinha. disse...

adorei realmente este texto. está tocante. muito obrigada pelo comentário e pela força (:

SOL da Esteva disse...

Sérgio

Sobre o medo, entendimento meu, é
um "aviso" que a natureza nos dá para que tenhamos a prudência necessária á Vida e, ou, á sobrevivência.
è só ter controlo sobre ele.

Abraço

SOL da Esteva
http://acordarsonhando.blogspot.com/

Carla Fernanda disse...

ALGUNS MEDOS, OU TODOS, SÃO PIORES QUE A REALIDADE E TRAZEM APRENDIZADO.
BELO TEXTO!!
BOM FINAL DE SEMANA!!
CARLA
;D

Débora Andrade disse...

Realmente tocante.
Marcante.
Impactante.
Deslumbrante.

Beijos,
Débora.

Flor de Lótus disse...

Oh meu caro poeta1Sempre tão bom vir aqui, realmente todas essas coisas nos provocam medo mesmo,mas não podemos nos deixar paralisar pelo medo.
Uma ótima semana!
Beijosss

Ma Ferreira disse...

Sérgio..muito bacana este paralelo que vc fez.. com a bananeira e os sentimentos.
Parabéns.
Mas o medo é um instinto de defesa..
ele te protege e te aprisiona. Mas pergunto: ptotege de que?
Nenhuma proteção aprisiona.
bj
Ma

Parole disse...

"Mas foram medos amenizados quando entendi que eles só tem a ver com a rejeição ao aprendizado..."

As vezes estamos tão confortáveis com as nossas certezas, que só a possibilidade de ter que se questionar é apavorante.

Bjs

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visualizadas