quarta-feira, 15 de junho de 2011

Tempo-espaço por Sergio Martins


Este céu imóvel e fechado move-me estranhamente: fico paralizado. Trancado; qual ostra presa aos rochedos. No céu está minha fotografia revelada: embrulho sofisticado, tempo bem-humorado ocultando tempestade. Nuvens pesadas segredam cargas elétricas - olhos pessimistas escondendo lágrimas... O vento muda e leva o mal-humor do clima. A terra sentiu sede, mas permaneceu enlacrada no tempo-espaço: a ânsia aumenta as horas, o tédio encurta o mundo - pensamentos imprevisíveis adiando a sorte... A chuva tardia regou a campina, grânulos prateados ecoam pelo ar, lampejos no rosto que vejo no retrato, ideias germinam em velocidade improvável - bica que derrama  amores, canal onde deságuo meus reclames... No espelho líquido desse chão barrento que vai se ondeando  ao sopro da brisa, vi o firmamento parcialmente azul: bebê recém-nascido sobre o berço de nuvens alvas e acesas. Meu rosto clareado no tempo renovado desse espaço composto pelos fragmentos de escuridão e de beleza - é meu campo nutrido, sensação de dever-prazer cumprido, partida e chegada; leveza e alegria de um raro sentir.

Imagem: Google

15 comentários:

RSM disse...

Bonito, Sérgio!

Aquele abraço atlântico!

Ma Ferreira disse...

Sérgio..Sérgio!
PO que dizer? Me calo.. e sinto!!
Mas é dificil se calar diante de um texto com tanto significado.
Todas as experiencias que passamos servem para mostrar o que realmente somos.
Muitas vezes..Febix..
Isso é bom demais.. o renascimento..
Um grande bj com admiração!

Ma

Nel Santos disse...

Huum... Lembrou-me uma frase de uma música: "...a chuva lava o que já passou..." Quando podemos, quebramos os espaços com as asas da imaginação.

Amei o texto!

Abraço!!!

SOL da Esteva disse...

Sérgio

Este teu texto deixa-nos como que esmagados de tanta essência.

SOL da Esteva
http://acordarsonhando.blogspot.com/

lita duarte disse...

Oi, Sérgio.

Estamos sempre partindo e chegando.
Sentir alegria é uma tremenda satisfação.

Belo texto.

Bjos.

Nel Santos disse...

Voltei para reler e reler...

Gosto da "sensação de dever-prazer cumprido"...

Dias claros e de céu límpido pra ti!!!

Bjs!

Parole disse...

A chuva também me acalma e consigo ver tudo com mais clareza.

Belíssimo.

Um beijo meu querido.

Carla Fernanda disse...

Um raro sentir postada numa rara beleza que me traz também alegria Sérgio.
Beijos,
Carla

Lena disse...

Sergio
Como seus poemas me encantam, te juro, saio daqui com a alma lavada e purificada. Bjkas com muito carinho!

Sandra Botelho disse...

A chuva lava as dores da alma...Lindo texto amigo.beijos achocolatados

♥ κєκєl ♥ disse...

Enqto lia seu texto poetico vinha em minha mente meu ultimo voo onde observava as nuvens...seus desenhos e a inspiração que criavam em mim.

Beijos

PS. Obrigada por participar do nosso blog VEJO VOZES.

Vieira Calado disse...

Vejo que você se diz "um operário em construção". Também eu!


* a propósito, essa música é genial.

Forte abraço

Fernand's disse...

baita sensação bendita!


:D
bjsmeus

Flor de Lótus disse...

Que lindo, Sérgio!Poesia escrita em prosa!
Beijosss

Ma Ferreira disse...

Senti falta das suas cronicas.
Ta td bem?
bjkas

Ma..semana linda a vc1!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visualizadas