domingo, 5 de dezembro de 2010

Aquele Dezembro - por Sergio Martins


        Submergidos à áurea encantada de Dezembro e enternecidos pela manhã, os olhos do moço despontavam um castanho incomum e seu peito enchia-se com a leveza dos marulhos crepitantes do vinil; a suave melodia ondeava relaxante, e toda aquela paz levitando na calmaria da brisa, recolocava suas emoções às prazerosas maresias, àqueles dias graciosos com sua amada... Ao passo que Esmeralda, a sua querida menina (antecipando-se ao seu ritual de acariciar-lhe o rosto frio antes do beijo quente), observando o olhar noturno de seu homem-menino que amanhecia brilhante e cheio de vida, fez o que seu corpo tanto desejava, descobrindo assim, sua roupa e seu novo e feliz dia: o mar dourado ao alvorecer. 

Pintura: Adélio Martins - http://adeliomartins.blogspot.com/2010/10/3-pintura_20.html

4 comentários:

Dona Lu disse...

Belo texto, enfim... Gostaria de saber se estuda ou estudou a algo relacionado à leitura! Pq é incomum ver tanto talento !

japaweb disse...

Serginho. Após uma noite um amanhecer brilhante nos braços de quem se ama. Grande manhã pra vc meu amigo.

gameiro_writer disse...

Adorei o tom poético :)
Tem muito talento Sério..
To seguindo tambem, abraço !

Adélio Martins disse...

Olá Sérgio Martins
Fiquei muito orgulhoso por teres utilizado a minha pintura "Mar dourado" na tua prosa.
Gostei da tua poesia e vou seguir a história de Ariel.
Boa sorte
Adélio Martins

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visualizadas