domingo, 7 de novembro de 2010

Soneto circense por Sergio Martins


No picadeiro encontrei o meu maior amor:
eu, menino solto, vi a nascente graça,
ela, menina-flor brincando em sua praça
- erotismo de Neruda: irrecusáveis aroma e sabor.

No picadeiro encontrei o meu maior amor:
eu, mágico driblando a realidade,
ela, equilibrista seguindo uma só verdade
- romance de Frost: novo brilho, nova cor.

No picadeiro encontrei o meu maior amor:
acrobacias ao som dos tambores de guerra, coração
na mão do palhaço - drama trágico de Sheakspeare: prazer e dor.

No picadeiro encontrei o meu maior amor:
sonhos compram e vendem-me na comédia de erros e
de contorsionismo- minha autobiografia: ser-circense e amador.

Imagem: http://encontmarcado.blogspot.com/

Um comentário:

________________________________ disse...

Sergio, realmente um tema semelhante ao meu poema transversos de mim e o seu belíssimo soneto circense e nesse picadeiro vamos nos apresentando sob a lona de um grande circo, onde o espetáculo não pode parar, abraço poeta

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visualizadas