quarta-feira, 10 de julho de 2013

Faltou pouco - Sergio Martins




Corpo frio, água morna, sol de inverno...
Foi-se o luto que já não pode demorar mais que a dor...
De toda morte, disse: “luto por quem me roubou o luto”.
E por ser ele, sempre ele mesmo, não pôde viver pelos mortos, pelo que é falecido...
Sendo ele, homem vívido e só, vê-se no menino festivo à beira de novas e belas estradas...
Foi uma febre, uma moda das sensações, a arte pela arte, o espelho, espelho meu (e seu) tão venerado, a distração que trouxe o inesperado prazer, suas verdades em provas...
Ficou apenas toda sua felicidade e estranheza em ver beleza no caminhar solitário...

Faltou pouco, ficou num quase de água quente, de corpo e alma, de inverno e de sol...

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visualizadas