sábado, 16 de outubro de 2010

Soneto da fazenda paraíso



Nem o poder da política ou as estórias da religião. Só o amor
quero e este fim de mundo para neles viver;
pois que mal pode haver em alcançar de Deus este favor:
que da vida breve seja sem fim nosso prazer?

Não desejo ruas de ouro, rezas, coroas de brilhantes, mar de cristal,
anseio apenas o ar puro dessa paisagem mansa e singela,
desconhecendo, assim, outro paraíso além desse regaço maternal,
em que de toda galinha caipira, tenho o gozo de minha roceira bela.

Nesta catedral repleta de estrelas milagreiras
acontece em mim uma mudança de época:
felicidades simples e não passageiras.

É que a fazenda é uma extensão do meu olhar
- graça que todos os dias reconquista a vida-,
época de mudança: arte do eterno namorar.

Foto: http://www.harasmv.com.br/fazenda-monte-verde-fotos.asp?tipo=fazenda

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens mais visualizadas